Está aqui

Acampar com o cão: o que ter em conta

Uma das vantagens em acampar é a possibilidade de se fazer acompanhar do seu cão. Ao contrário da generalidade dos hotéis, pensões e residenciais, a grande maioria dos parques de campismo não colocará qualquer entrave a que se faça acompanhar do melhor amigo do homem. No entanto, há algumas coisas que deve ter em conta.

Que tipo de cão é o seu?

Se lhe é permitido levar o cão para o parque de campismo, deverá, em primeiro lugar, logo quando planear a viagem e estadia, ponderar como é que o seu cão se comportará e poderá reagir. Alguns fatores a ter em conta são:

  • Obediência: o seu cão responde a ordens ou, no mínimo, ao seu chamamento?
  • Convivência: não só com outras pessoas, mas principalmente com outros animais. O seu cão certamente não será o único no parque, como reagirá com outros cães? E com pessoas desconhecidas?
  • Necessidades: ele consegue controlar-se, ou é um rebelde que mal se vê num local desconhecido desata a “marcar território” por todo o lado?
  • Silêncio: o seu cão consegue ficar uma noite inteira sem ladrar, resistindo ao chamamento da natureza e, eventualmente, a um esquilo que por lá ande a passear?

Em suma, o que deverá ter presente mesmo antes de sair de casa é que a presença e estadia do seu cão não pode incomodar os outros campistas, mesmo aqueles que sejam mais implicativos e suscetíveis.
Um cão desobediente – ou, melhor, dizendo, independente – que corre e explora sem se preocupar de forma imediata em regressar ao dono ou sem se inibir de entrar numa qualquer tenda de outro campista será um pesadelo para si e para os outros. Preferivelmente, deverá estar sempre preso, a menos que tenha a certeza absoluta que se lhe ordenar “fica”, ele resistirá em absoluto a qualquer distração – a passagem de um carro, de uma pessoa com um petisco irresistível, ou até de um gato, ou qualquer outro motivo de curiosidade (que, acredite, abundará para o seu cão). Confia assim tanto nele?
Escusado será dizer também que se o seu cão tiver um perfil mais violento ou mesmo apenas potencialmente perigoso, se deverá abster de o levar para um parque de campismo. Isto aplica-se não só no relacionamento com outros cães e animais no geral, mas também com pessoas. Inevitavelmente, haverá sempre algum outro campista a querer fazer umas festas ao seu cão, incluindo crianças. O seu cão reagirá bem a isto? Aceita bem a presença e o convívio com desconhecidos, ou mostra-se desconfiado e reticente? E como se dá com outros animais?
Se o seu cão estiver habituado a uma hora ou momento específico para as suas necessidades (por exemplo, um passeio matinal), tenha presente que esta rotina será quebrada. O seu cão deixará de saber qual é a hora e o local indicado para este efeito, e terá o instinto de marcar o novo território que visita. Dê um pequeno passeio com ele ainda antes de entrar pela primeira vez no parque. Durante a sua estadia, leve sempre o seu cão a fazer todas as necessidades fora do parque, e caso não consiga evitá-lo, faça o que faria na rua: recolha os dejetos.
Um outro aspeto, que será eventualmente dos mais importantes, é o perturbar do silêncio. Ninguém gostará de acordar a meio da noite com o ladrar de um cão. E, novamente, se o seu cão não se inibe de soltar um latido, não faltarão motivos para o fazer. Um barulho no meio do silêncio noturno, uma pessoa a passar na calada da noite, um animal (gatos, cães, esquilos, coelhos e sabe-se lá que outros pequenos animais mesmo a pedir para serem perseguidos), ou simplesmente o irresistível chamamento da natureza, ladrando ou uivando para a lua.
Claro está que o seu cão não tem que respeitar em absoluto todos estes critérios – certamente nenhum o fará. Mas são fatores que deverá pesar e levar em conta na decisão de ir acampar com o seu cão, de forma a que estadia seja tão agradável quanto possível, para si e para os outros.

Cuidados gerais para grandes passeios

De resto, os cuidados a ter quando leva o seu cão consigo para um parque de campismo não são muito diferentes daqueles que deverá ter para qualquer viagem ou passeio de longa duração:

  • Antes da viagem, leve-o a uma consulta de rotina no veterinário, e certifique-se que tem todas as vacinas em dia;
  • Uma coleira com nome, morada e telefone para contacto fará mais sentido que nunca;
  • Se for uma coleira anti-pulgas, ainda melhor: lembre-se que ele estará altamente exposto;
  • Ter um açaime de precaução para emergências poderá ser sensato – não só para controlar a violência do seu cão, mas sobretudo para acalmar e tranquilizar outras pessoas;
  • Não se esqueça de trazer a comida habitual do seu cão; se possível, mantenha a sua rotina alimentar;
  • Após comer, guarde ou deite fora a comida restante, evitando assim atrair insetos ou outros animais.

Por fim, um “pormenor” essencial: apesar de muitos parques de campismo aceitarem a presença de animais, também os há que não o fazem. Por isso, confirme antes de sair de casa se o parque escolhido permite a estadia do seu cão – é uma informação que está presente em todos os guias de campismo e, em último caso, um telefonema dissipa as dúvidas.
Se tudo isto estiver previsto e não existirem outros entraves, então do que está à espera? Faça-se à estrada e aproveite umas férias fantásticas que, de certeza, você e o seu cão irão adorar!

A sua votação: 
Média: 4.4 (27 votos)